#Wikipraça: rua global, rua local Published 9/17/2015 in SPhangoutouvidor

  A ação #Wikipraça: rua global, rua glocal conectou ontem o centro histórico de São Paulo com Nova Iorque, Madri, Recife, Guadalajara (México), Porto Alegre e Bogotá. Apesar do frio, do vento, da chuva e dos problemas técnicos provocados pelo clima, o coletivo Wikipraça conseguiu realizar o hang out Rua global, rua local, programado dentro do Mês da cultura independente da prefeitura de São Paulo. A ideia inicial era a criação do espaço híbrido (internet e território) de uma rua glocal (global e local). O hang out, que foi realizado na praça Ouvidor Pacheco e Silva de São Paulo, contou com a participação de Arquitectura Expandida (Bogotá), Ocupe Estelira (Recife), Zapoapán Lab (Guadalajara, México, Rubén Caravaca ( Madri, participantes de multiplas... read more→


Uma Wikipraça para Jundiaí Published 8/12/2015 in wikipracawikipracapost

O programa Urbanismo Caminhável, que vem sendo realizado em parceria com o Instituto Mobilidade Verde, busca melhorar a caminhabilidade do centro da cidade por meio de ações e projetos de curto, médio e longo prazo, que são testados e experimentados através de intervenções temporárias nos espaços públicos. Desde o início do projeto foram realizadas diversas ações, desde construção de mobiliários e caminhadas abertas de avaliação, até atividades lúdicas e mapas afetivos. O projeto Wikipraça foi convidado para realizar duas ações e contribuir com o programa, sendo a primeira, uma oficina de ferramentas digitais para articulação local, e a segunda ação, que se desdobrou em dois encontros, a Cartografia Colaborativa do centro histórico e da Praça dos Andradas. Na primeira ação apresentamos as... read more→


Novos horizontes para a Wikipraça Published 6/10/2015 in SPcartografia

O projeto Wikipraça está em uma nova fase. Começou como projeto independente no Rio de Janeiro no final do ano 2012. Rodou como código urbano participativo da prefeitura de São Paulo, sendo um dos três projetos pilotos da Secretaria de Direitos Humanos. Mas em fevereiro do 2015 acabou essa fase institucional, que ainda vamos avaliar publicamente em este site. A Wikipraça volta a ser um projeto independente e autônomo, característica que nunca perdeu. A Wikipraça, como método de participação e mediação dos espaços urbanos, foi aprimorando o seu código nessa última fase Wikipraça Arouche, desenvolvida no largo do Arouche de São Paulo. A parceria com a Secretaria de Direitos Humanos foi vital: mostrou a importância da escuta do poder público... read more→


#WikiNamoradeira, mobiliário urbano de código aberto Published 4/15/2015 in SPreabcdsariocollage

Durante o primeiro encontro Re-ABCDário Urbano do projeto #WikipraçaSP - Wikipraça Arouche, nasceu no largo do Arouche de São Paulo uma peça de mobiliário urbano bem peculiar: um banco de madeira feito para que duas pessoas ficassem sentadas, cada uma olhando para um lado, se olhando, falando, tal vez namorando. Fabián Alonso (fundador de Assalto Cultural) e Mistério Basurama (membro de Basurama Brasil) chamavam com entusiasmo o banquinho de namoradeira.  Ou seja: namoradeira = banco coletivo para namorar de forma confortável. A namoradeira, com algumas semelhanças com o projeto Seat Commons do espaço Campo de Cebada de Madri e a namoradeira tete-a-tete rocker do Jose Zanine, se transformou numa peça cobiçada do Largo do Arouche. A peça circulou de mão em... read more→


Nascimento e morte de uma rede Published 2/2/2015 in SP

De nó em nó a WikiRede foi se formando, costurando o Largo do Arouche e suas relações. Construída de forma colaborativa por parceiros do WikiPraça numa quarta (17/12) ensolarada, moradores e frequentadores da praça, a WikiRede alterou a dinâmica do Largo do Arouche. No início da atividade Mister Basurama apresentou ao grupo as técnicas de amarração das cordas e os diferentes suportes possíveis. O grupo fez um estudo de campo para avaliar o melhor lugar para construir a rede. Seriam construídas duas redes entre quatro grandes vasos de plantas, dispostos no meio da praça, em frente à banca de jornal. Mister Basurama explica da seguinte forma a inspiração para o processo: "quisemos emular a Hugo França e seus maravilhosos bancos com forma de... read more→


Saúde e Mídia T's Published 1/27/2015 in SP

No último domingo (25/01 - aniversário dos 461 anos de São Paulo), foi realizado no Largo do Arouche dois eventos dentro do projeto #WikiPraça (em parceria com Nós Mídia, Ibrat e a Secretaria Municipal de Direitos Humanos da Prefeitura Municipal de São Paulo), ambos os eventos, tiveram temas voltados à população LGBT (mais especificadamente às pessoas travestis, mulheres transexuais e homens trans). Confiram no link a seguir, a programação completa do que rolou no evento: http://goo.gl/ulXjCj. Infelizmente, não contamos com as participações do #CRTSP, #CRDSP, #GrupoPelaVidda e da #FernandaDeMoraes, que confirmaram presença com o público e não compareceram [tão pouco enviaram representantes ou nos informaram antecipadamente o motivo do não comparecimento voluntário e humanitário]. Fora este contra-tempo oportuno [você vai entender o porque... read more→


Você prédio eu acho tédio, você praça eu acho graça Published 1/26/2015 in SP

O debate sobre gentrificação e especulação imobiliária organizado pelo projeto #WikipraçaSP - #Wikipraça Arouche usou no flyer de divulgação uma frase simbólica: "Você praça acho graça. Você prédio acho tédio". A frase cresce e se multiplica em muros e paredes de São Paulo. E virou um icone da luta cidadã contra as grandes construtoras. O próprio assunto de debate surgiu após muitas conversas e diálogos com participantes do projeto Wikipraça e moradores da região.  A conversa sobre a gentrificação, aconteceu na quarta-feira dia 21, em um momento importante da luta contra a especulação imobiliária no centro de São Paulo. Na semana anterior o Movimento Parque Augusta havia liberado o parque e acampado no interior do mesmo. E na quarta-feira, simultanemente ao... read more→


Primeiro encontro Published 12/29/2014 in POA10857991_769078816498760_32110437744778495_n

No dia 12 de Dezembro aconteceu a primeira ocupação do Wikipraça POA // Viaduto Silva Só em Porto Alegre. Pra quem não sabe, o viaduto da Silva Só fica no bairro Rio Branco e é a intersecção de duas grandes avenidas da cidade, a Mariante (que vira Goethe) e a Protásio Alves. A movimentação durante o dia ali é constante, muita gente mora e transita na região, mas poucos param pra entrosar ou contribuir com o espaço e as pessoas que ficam ali, o caráter é de passagem. O que fizemos foi levar bancos, cadeiras, uma galera interessada e um megafone pra lá - era final da tarde de sexta-feira, o movimento e o ruído eram grandes nossa volta. Mas não nos acanhamos,... read more→


Redes, banquinhos e teatro! Os presentes do Arouche são de tod@s! Published 12/26/2014 in SP

Um pouco antes de todos nós entrarmos nos feriados de final do ano, aconteceram atividades intensas e produtivas no nosso #wikiarouche. Quarta-feira dia 17/12 estivemos na praça com Misterio Basurama construindo redes feitas de cordas enlaçadas e muita criatividade. Com ajuda de alguns frequentadores e moradores da praça conseguimos tecer duas redes entre os vasos no Arouche. Descanso delícia, ponto de encontro, brinquedo de criança e desejo do nosso imaginário comum. A semana terminou com a festa de domingo na praça. Desde de manhã estivemos presentes na praça com o piquenique colaborativo, a oficina de mobiliário urbano e construção de sinalizações para áreas comuns. Tudo isso com muito tempero Arouchiano. Olha a nossa diva dando uma dica do tom do dia 😉 As oficinas de marcenaria foram... read more→


Uma #WikiHorta para o Arouche Published 12/10/2014 in SPwikihorta

por Lucas Pretti Embaixo das árvores do Largo do Arouche – e que árvores! difícil encontrar área assim tão potencialmente aprazível em SP –, o que se via nos últimos anos era a luta sem fim entre grama e solados de tênis. No verão ficava tudo verde, e então chegavam o Carnaval, a Virada Cultural e enfim o inverno para acabar com tudo. Terra. Faz duas semanas que algumas sementinhas foram plantadas ali, em um espaço com um pouco de sol e um pouco de sombra, ideal para que floresçam. São sementinhas de manjericão, tomate, hortelã, pitanga, couve, alho-poró, flores e tantas outras, mas não só. Embaixo daqueles 10 metros quadrados (quanto valeria isso na lógica imobiliária?) estão plantadas sementinhas do comum. Batizada... read more→